Carta de Noticia de Angola - Slider_destaques_1
 

A UNITA, Bloco Democrático (BD) e o PRA-JA Servir Angola, oposição angolana, defenderam hoje que a revisão constitucional deve consagrar, como ponto de partida, a "eleição direta e livre" do Presidente da República por todos os cidadãos nacionais.

O empresário luso-angolano Carlos São Vicente e o filho, Ivo São Vicente, vão acompanhar “de perto” a assembleia-geral do Standard Bank, e prometem recorrer aos tribunais para assegurar os seus direitos, segundo uma nota enviada à Lusa.

O presidente da Associação das Empresas Contratadas da Indústria Petrolífera em Angola (AECIPA) considerou hoje que empresas angolanas “resistem” em abrir o seu capital em bolsa por “falta de cultura de boa governança” e “desconhecimento de oportunidades”.

O Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA) partido no poder  acusado de estar por detrás de todos ataques informáticos, destinados aos sites angolanos.

Adalberto da Costa Júnior foi eleito hoje (sexta-feira) presidente da UNITA, durante o XIII congresso ordinário deste partido político.

As operações cambiais privadas passam a ser feitas, a partir do próximo mês de Janeiro, sem necessidade de apresentação de qualquer documentação, como acontece actualmente, anunciou o Banco Nacional de Angola (BNA), num aviso divulgado na sua página oficial na Internet.

A Odebrecht disse em 2018 ao Governo que precisava de 400 milhões USD para as obras do Aproveitamento Hidroeléctrico da Laúca, mas só recebeu cerca de 300 milhões. O resto ficou na posse do financiador. Agora, o Governo volta a recorrer à Gemcorp, de acordo com um Despacho Presidencial de 28 de Outubro, para obter mais 400 milhões para Laúca.

O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva, disse hoje que a crise económica e financeira que o País vive só será ultrapassada a médio prazo se, a partir de agora, o Presidente da República se afastar "decididamente da oligarquia que capturou o Estado" e passar a governar para a cidadania com vista a alcançar os quatro objectivos a que se referiu na sua mensagem sobre o estado da Nação.

O líder do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), no poder, acusou hoje supostos militantes do partido de estarem por detrás de uma campanha que visa a intoxicação e destabilização do país.

O presidente de Angola anunciou esta terça-feira a decisão de demitir o ministro das Finanças, Archer Mangueira . O seu lugar vai ser ocupado por antiga secretária de Estado para as Finanças e Tesouro  Vera Santos Daves.