Carta de Noticia de Angola - Economia
 

As Reservas Internacionais Líquidas (RIL) em Angola voltaram a cair em maio, fixando-se em 10.300 milhões de dólares (9.100 milhões de euros), uma quebra de 508 milhões de dólares (449 milhões de euros) face ao mês de abril.

O Governo angolano adiou para 15 de julho a entrada em vigor do aumento do tarifário de energia, que sofre um reajuste até 97%, deixando o Estado de a subvencionar, informou hoje o Ministério das Finanças.

A consultora Economist Intelligence Unit (EIU) defendeu hoje que as reformas que Angola está a lançar para revitalizar a produção de petróleo são vitais para a economia, mas avisou que o processo será longo e difícil.

O ministro do Comércio angolano afirmou hoje que espera mais investimento privado chinês no seu país, visando alterar o paradigma de excesso de intervenção estatal que tem dominado as relações comerciais entre Angola e China.

O representante do Fundo Monetário Internacional (FMI) em Angola defendeu hoje a "eliminação dos subsídios" aos combustíveis, água e eletricidade no país, porque "beneficiam os mais ricos", e a implementação de "programas de apoio às pessoas mais vulneráveis".