Carta de Noticia de Angola - Zimbabué: Presidente provisório promete relançar a economia e combater corrupção
 


Zimbabué: Presidente provisório promete relançar a economia e combater corrupção

Written by  Nov. 25, 2017

Emmerson Mnangagwa prometeu hoje promover o investimento estrangeiro e combater a corrupção, no discurso de tomada de posse como Presidente provisório do Zimbabué.

“A cultura do governo tem de mudar e tem de mudar imediatamente”, disse o novo Presidente, referindo-se aos 37 anos de poder do seu antecessor, Robert Mugabe.

Mnangagwa, 72 anos, líder da ZANU-PF desde domingo, tomou hoje posse como chefe de Estado num estádio de Harare prometendo lealdade à Constituição e à República do Zimbabué.

Após o juramento, o chefe de Estado provisório disse que está empenhado em relançar a economia do Zimbabué e procurar investimento para o país, que se encontra em crise profunda e sujeito a sanções internacionais.

O novo Presidente prometeu indemnizar os agricultores que perderam as terras depois das decisões de Mugabe e que provocaram a instauração de sanções económicas internacionais contra o Zimbabué.

Mesmo assim, não forneceu detalhes sobre assunto limitando-se a dizer que as medidas que foram tomadas sobre as terras e os agricultores “não podem ser alteradas”.

Emmerson Mnangagwa afirmou também que vai respeitar a realização de eleições “democráticas” marcadas para 2018 acrescentando que o país vai conseguir “renovar-se” após os 37 anos de Robert Mugabe no poder.

O novo chefe de Estado frisou que o “país não deve permanecer refém do passado” apesar de ter afirmado que o Zimbabué deve prestar “tributo” a Robert Mugabe, numa parte do discurso que não foi aplaudida pelos milhares de pessoas que se encontram presentes no estádio, onde decorrem as cerimónias.

Mnangagwa acrescentou que aceita o poder de forma “profundamente humilde”, após a série de acontecimentos que começaram com uma ação militar no dia 14 de novembro e que culminaram terça-feira, quando Mugabe apresentou a demissão, na mesma altura em que o Parlamento se preparara para iniciar um processo de destituição através de uma moção de censura.

Presentes na cerimónia encontram-se, entre outros, os chefes de Estado de Moçambique, Botsuana e Zâmbia.

O presidente da África do Sul, Jacob Zuma não se encontra presente porque recebe a visita oficial do novo presidente angolano.

Last modified on quarta, 31 outubro 2018 12:57
Isaac Paulo Bunga

Sou jornalista angolano colunista político, escritor e editor do jornal eletrônico da Carta de Noticia de Angola desde setembro de 2017 na qual decidiu escrever e informar aos angolanos sobre a tendência das notícias em geral.

[email protected]  Tel: +244954754894

 

. .
.
.