Carta de Noticia de Angola - Politica
 
Politica

Politica (91)

Um cenário de alteração de estatutos na Unita, capaz de colocar Isaías Samakuva na luta pela Presidência de Angola em 2022 mesmo fora da liderança do seu partido, é admitido como proposta para as teses do congresso, mas também criticado por uma franja que se opõe ao que chama de subterfúgios na hora do adeus.

O governador da província de Luanda, Sérgio Luther Rascova, procedeu, nesta terça-feira, a exoneração do Conselho de Administração da Empresa de Limpeza e Saneamento de Luanda (Elisal-EP).

Os Emirados Árabes Unidos propõem-se a investir, a partir dos próximos seis meses, cerca de dois mil milhões de dólares na instalação de uma linha de montagem de tractores em Angola, na produção de electricidade e gás e na agricultura.

O líder da UNITA diz que notícia de que pretende concorrer a novo mandato na presidência do partido é falsa, mas se mudarem os estatutos pode enfrentar João Lourenço nas próximas eleições.

O Presidente da República, João Lourenço, rejeitou, esta sexta-feira, ter encontrado o país armadilhado, mas admitiu ter enfrentado dificuldades após assumir os destinos do país, em Setembro de 2017.

O ministro do Interior angolano indicou hoje que o Governo de Luanda pretende introduzir, até ao final deste ano, o passaporte eletrónico, proposta que deverá ser aprovada na reunião do Conselho de Ministros, marcada para a próxima quarta-feira.

O Governo angolano defendeu hoje a entrada em funcionamento dos Conselhos e Vigilância Comunitários (CVC), previstos na lei desde 2016, para auxiliar os órgãos de defesa e segurança no combate e prevenção da criminalidade.

O até agora secretário para a Informação do MPLA ascendeu hoje a secretário-geral do partido, após uma votação realizada durante a primeira reunião ordinária do Comité Central, depois do congresso extraordinário.

O antigo primeiro-ministro angolano Marcolino Moco defendeu hoje, em Luanda, que o atual chefe de Estado de Angola, João Lourenço, "tem de começar a ser ele próprio" e "não um homem virado para o que se fez antes".

O Governo angolano determinou o arresto de três fábricas têxteis, localizadas nas províncias de Benguela, Cuanza Norte e Luanda, anunciou esta quinta-feira, em comunicado, o Serviço Nacional de Recuperação de Activos da Procuradoria Geral da República.