Carta de Noticia de Angola - Politica
 

O antigo secretário-geral do MPLA, Marcolino Carlos Moco, declarou neste sábado, em Luanda, que o actual presidente do partido, João Lourenço, tem uma oportunidade singular de reconciliar a sua classe dirigente, desencorajando actos de perseguição.

O até agora secretário para a Informação do MPLA ascendeu hoje a secretário-geral do partido, após uma votação realizada durante a primeira reunião ordinária do Comité Central, depois do congresso extraordinário.

Num discurso que apontou baterias à família do seu antecessor, o Presidente de Angola falou dos “que ameaçam o MPLA e fazem chantagem” e defendeu a necessidade de fazer respeitar a Constituição e a Lei.

O líder do MPLA e Presidente de Angola, João Lourenço, disse hoje que a dívida externa do país atingiu um nível "tão alto" devido a investimentos de reconstrução, mas também por financiar "o enriquecimento ilícito de uma elite restrita".

O antigo primeiro-ministro angolano Marcolino Moco defendeu hoje, em Luanda, que o atual chefe de Estado de Angola, João Lourenço, "tem de começar a ser ele próprio" e "não um homem virado para o que se fez antes".