Carta de Noticia de Angola - Sociedade
 
Sociedade

Sociedade (46)

A defesa do ex-ministro dos Transportes angolano, Augusto Tomás, condenado hoje a 14 anos de prisão, disse que a decisão do tribunal visou apenas "mostrar à sociedade que as coisas mudaram".

Os processos-crime contra os deputados Higino Carneiro e Manuel Rabelais estão em fase de instrução preparatória, segundo a fonte.

Peritos do Banco Nacional de Angola, Ministério das Finanças e da Ordem dos Contabilistas de Angola vão esclarecer, amanhã, em tribunal, os meandros em que eram celebrados contratos fraudulentos entre o Conselho Nacional de Carregadores com empresas privadas, anunciou hoje ao Jornal de Angola a assistente de imprensa do Tribunal Supremo, Amor de Fátima.

As novas tarifas de eletricidade entram em vigor hoje em Angola, com as autoridades a assegurarem manutenção dos preços para consumidores da "categoria social", com capacidade reduzida de consumo, e um aumento menor na categoria "doméstica especial".

A empresa Quantum Global anunciou que as autoridades suíças arquivaram as investigações sobre a utilização de verbas do Fundo Soberano de Angola, considerando que está reposta a reabilitação do seu presidente, Jean-Claude Bastos de Morais.

O ex-director-geral adjunto para área Técnica do Conselho Nacional de Carregadores (CNC), Rui Manuel Moita, admitiu hoje (quarta-feira), em tribunal, ter recebido cerca de 43 mil dólares norte-americanos (USD) da empresa BB Comercial, como "gratificação".

O ex-cônsul da Guiné-Bissau em Luanda Isaac Monteiro morreu no domingo numa clínica da capital angolana, onde se encontrava internado desde terça-feira, quando foi atingido à queima-roupa com três tiros em Viana, disse hoje à agência Lusa fonte diplomática guineense.

O antigo chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM) de Angola António José Maria viu hoje decretada prisão domiciliária, pelo Supremo Tribunal Militar, por suspeita de extravio de documentos com informações militares.

A VOA tem vindo a acompanhar as investigações sobre a venda de material à polícia angolana pela companhia espanhola Defex e que levaram o Ministério Público de Madrid a pedir elevadas penas de prisão a funcionários dessa companhia envolvidos na operação.

Os serviços aduaneiros detiveram ontem, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, em Luanda, um cidadão angolano que pretendia contrabandear 239 mil dólares no voo com destino a Casablanca (Marrocos).