Carta de Noticia de Angola - Sociedade
 
Sociedade

Sociedade (160)

O Ministério Público diz, nos actos acusatórios, que o ex-Ministro dos Transportes, Augusto Tomás, justificou a despesa com o dinheiro do CNC para a criação da empresa Afritaxi com o objectivo de fomentar a actividade de táxi personalizado em Luanda.

O director-geral do Hospital Regional do Lobito, na província de Benguela, Luís Varandas, foi detido, esta quarta-feira, por suspeita de crime de peculato, soube a ANGOP.

O Tribunal Supremo decidiu retirar duas das cinco acusações a José Filomeno “Zenu” dos Santos e alterou as medidas de coacção.

A mesma fonte do Jornal de Angola, que avançou para hoje a soltura de Joaquim Sebastião, confirmou igualmente que o Serviço de Recuperação de Activos da PGR recuperou os terminais dos portos de Luanda e do Lobito, que estavam entregues à empresa Soportos - Transporte e Descarga, SA, pertencente ao ex-chefe da Casa de Segurança do Presidente da República, general Manuel Hélder Vieira Dias “Kopelipa”, e família.

Cerca de 50 por cento dos ocupantes dos apartamentos da cidade do Kilamba, por via do sistema de renda resolúvel, estão com “graves incumprimentos” no pagamento das prestações mensais ao Estado, revelou ao Jornal de Angola a gestora das referidas habitações pelo Fundo de Fomento Habitacional (FFH).

O ex-director-geral do Instituto Nacional de Estradas de Angola (INEA), Joaquim Sebastião, será posto em liberdade, na próxima quarta-feira (31), sob termo de identidade e residência, avança a Procuradoria Geral da República (PGR).

O Instituto Nacional de Luta Contra Sida (INLS) reafirmou nesta terça-feira, em Luanda, que a criança exposta ao HIV por transfusão de sangue, há nove meses, no Hospital Pediátrico de Luanda "David Bernardino", "está livre do HIV e da Sida".

A Polícia Nacional (PN) prevê criar órgãos de investigação e inteligência, para reforçar o combate ao crime e conformar a sua actuação, no quadro do novo Estatuto Orgânico da corporação, anunciou hoje (quarta-feira) o comandante-geral, Paulo de Almeida.

A subida do preço da eletricidade em Angola está a revoltar os cidadãos, que se queixam do aumento do custo de vida, sobretudo na cesta básica e serviços essenciais.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) alertou hoje que em Angola "não existem" disposições legais que assegurem "condições de trabalho seguras" ou "acesso a serviços de saúde" aos trabalhadores do sexo.